Cidades

Obras em linha férrea devem ser concluídas em maio de 2014

ALL – Concessionária nega que já tem data prevista para retomar as operações da linha férrea

 

 

Os mais atentos já perceberam algumas mudanças nas estruturas dos trilhos de trem que cortam Cianorte. Basta olhar para o alto, onde se encontra o pontilhão da Avenida Maranhão e lá estão os novos dormentes substituindo os que foram deteriorados pela ação do tempo.

A empresa América Latina Logística (ALL) é a responsável pela recuperação do trecho ferroviário de 90 km que se estende de Maringá até Cianorte. “Nele estão sendo executados serviços de recuperação de infraestrutura e da superestrutura com aplicação de dormentes, recuperação de pontes, substituição de trilhos e a recuperação de linhas de cruzamento”, informou a assessoria de imprensa da ALL à Tribuna de Cianorte.  A conclusão das obras está prevista para maio de 2014. Outro trecho recuperado, entre Maringá e Doutor Camargo, tem seu término previsto para dezembro de 2013.

Notícia veiculada pela prefeitura de Cianorte em 2012 abordou reunião realizada em 22 de março daquele ano, entre o então prefeito Edno Guimarães e representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná (CMNP). A reunião tratou da situação da estrada de ferro e do pátio ferroviário, localizados na região central da cidade. Conforme a nota, em audiência pública realizada no dia 17 de março de 2011, sobre a implantação do Novo Centro de Cianorte, a população decidiu que não haveria mais circulação de trens no perímetro urbano da cidade, determinação que já constava no Plano Diretor do município.

Porém, de acordo com informações da ALL não há previsão de desvio dos trilhos do perímetro urbano ou construção do contorno ferroviário, nem mesmo quando o trem voltará a operar entre Maringá e Cianorte. “Até porque tais obras seriam atribuição do Governo, a serem executadas pelo DNIT”, justificou a concessionária.

Sobre a retomada das operações de carga na linha férrea, a ALL diz que a ação “depende da existência de demandas e da celebração de contratos comerciais”. Para isso, não há uma data definida.