Cidades

Obras de duplicação da PR-323 começam nesta quarta-feira

Empresa inicia preparação do canteiro de obras no trecho entre Paiçandu e Doutor Camargo
["Com fluxo intenso de ve\u00edculos e m\u00e1 conserva\u00e7\u00e3o, PR-323 tem alto \u00edndice de acidentes ","",""] (Foto: AEN)

Os trabalhos para a duplicação dos primeiro trecho da PR-323, de 20,7 quilômetros entre Paiçandu e Doutor Camargo, começam nesta quarta-feira (3). A informação foi confirmada pelo Governo do Estado na manhã de ontem (2). A empresa que venceu a licitação se mobiliza para instalação do canteiro de obras. Na sequência, as máquinas serão levadas para o trecho. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos dois anos após a ordem de serviço.

Na segunda-feira (1º), o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), Paulo Tadeu Dziedricki, assinou o contrato com a Torc Terraplanagem, Obras Rodoviárias e Construções Ltda, em Curitiba. O teto previsto em edital para execução dos serviços era de R$ 100 milhões. A empresa venceu a licitação com proposta de R$ 73,2 milhões, representando uma economia de 26,8%. A obra será executada com recursos próprios do estado.

Além da pista dupla, o edital prevê serviços de terraplanagem, pavimentação, drenagem, construção de dois viadutos e uma trincheira, sinalização e ainda trabalhos complementares, como a implantação de rampas de acessibilidade.

IMPORTÂNCIA

Considerada uma das rodovias mais importantes do Paraná, a PR-323 faz a principal ligação entre as regiões Norte e Noroeste e passa por várias cidades. A rodovia suporta toda movimentação proveniente do polo têxtil do estado, além de ser ligação com países do Mercosul.

Hoje, a PR-323 tem pista simples, poucas áreas de ultrapassagem e acessos complicados em trechos urbanos, o que provoca um alto número de acidentes fatais. No trecho próximo a Cianorte, já foram registradas oito mortes desde o início de 2018.

A duplicação pretende garantir mais segurança aos usuários da rodovia e agilizar o escoamento da produção da região Noroeste.

Para o coordenador local da Comissão em prol da Duplicação da PR-323, Rubens Pereira de Carvalho, o início das obras é o resultado de muita luta. “Vamos comemorar, mas não paramos por aqui. Agora vamos para as próximas etapas, duplicação dos lotes 2 e 3, de Doutor Camargo ao Rio Ivaí e do Rio Ivaí até Cianorte, e assim até o termino da duplicação da PR-323 em Francisco Alves. Portanto, convido a todos para que continuemos firmes nessa luta em favor da vida”.

NOVELA

O impasse para a duplicação da PR-323 se estende desde 2014, mas as obras nunca saíram do papel. Em setembro de 2016, a licitação, estimada em R$ 1 bilhão, foi cancelada depois que a empreiteira responsável foi envolvida na Operação Lava Jato e o Governo do Estado foi obrigado a rescindir a Parceria Público-Privada (PPP) assinada entre o DER-PR com o consórcio. O projeto do primeiro trecho, que já estava pronto, foi adquirido pelo Governo e adequado para ser executado com recursos próprios.

Em abril, o DER-PR apresentou o cronograma completo de 11 ações programadas para a rodovia ao longo de 2018, com intervenções nos 216 quilômetros da estrada entre Paiçandu e Francisco Alves. Ao todo, serão licitados quatro lotes de obras de duplicação, contratação de dois projetos de duplicação, além de estudos de viabilidade, terceiras pistas, marginais, ponte e viaduto.

RECUPERAÇÃO

O trecho de 61,8 quilômetros entre Paiçandu e Cianorte está passando por obras de recuperação desde março deste ano. A empresa Pavia Brasil, vencedora da licitação, vai receber R$ 27,2 milhões do Governo do Estado para recuperar o trecho por completo e garantir a conservação da rodovia. A previsão é de que as obras terminem em março de 2019.