Saúde

Número de meninas imunizadas contra HPV cai 68% em Cianorte

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde mostram que o índice de meninas que tomaram a segunda dose da vacina contra o HPV (vírus causador do câncer do colo de útero) em Cianorte ficou bem abaixo em relação à vacinação da primeira etapa.

O município apresentou uma meta de 1,5 mil meninas de 11 a 13 anos para esta nova etapa; no entanto até agora só 425 garotas tomaram a segunda dose da vacina.

Conforme as estatísticas divulgadas no site do Ministério, Cianorte terminou a primeira etapa da vacina com 1.359 adolescentes imunizadas, o que corresponde a mais de 80% da meta total. Comparada com a segunda etapa, houve uma redução de 68% no acumulado das vacinas aplicadas.

Sobretudo, a queda na procura pela segunda dose da vacina foi registrada em todo o Brasil. No Paraná, por exemplo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), houve uma redução de 13% no número de meninas imunizadas, no comparativo com a primeira etapa - realizada em março deste ano.

IMPORTÂNCIA DA VACINA

Transmitido sexualmente, o HPV é apontado como o principal impulsor para o desenvolvimento do câncer de colo de útero; terceiro tipo da doença que mais afeta as mulheres adultas no mundo.

A vacina protege contra quatro subtipos de HPV: 6, 11, 16 e 18. Os 16 e 18, conforme o Ministério da Saúde, são responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero no Brasil.

"Não tomar a vacina pode trazer sérios riscos à saúde na vida adulta". Isto quem alerta é a chefe da Divisão de Prevenção em Saúde do Município, Heloísa Dantas, que garante ser a vacina a maneira mais eficaz de se prevenir contra a doença.

“Pedimos que os pais levem suas filhas para a imunização e não percam essa etapa. Lembramos que também estamos aplicando a primeira dose para aquelas que perderam o prazo.”

Para a proteção integral contra o HPV é preciso tomar três doses- a segunda seis meses depois da primeira, e a terceira cinco anos depois da segunda. Diferente do se diz, médicos garantem que a vacina é segura e não oferece riscos à saúde humana.

A ginecologista Alexandra Valverde Fedriz comenta que esta é uma doença que atinge mulheres em uma faixa etária produtiva na fase adulta. E por isso precisa ser prevenida.

“A partir do momento que fazemos a vacina para estas meninas, diminuímos bastante a possibilidade de infecção do vírus.” (Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Cianorte).

DISPONIBILIDADE

Para aquelas meninas que ainda não tomaram nenhuma dose da vacina. O Estado e o Ministério da Saúde garantem o direito gratuito à vacina em qualquer unidade de saúde.

Em Cianorte, segundo a Divisão de Prevenção em Saúde, meninas de 11 a 13 podem tomar a primeira e a segunda dose em qualquer Unidade Básica de Saúde, de qualquer bairro da cidade.