Cidades

Mutirão de limpeza acontece na região do Aquiles Comar e São Lourenço

Ação deste final de semana visa eliminar esconderijos de escorpiões e criadouros do mosquito Aedes aegypti
Ação visa eliminação dos possíveis esconderijos de escorpiões e criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças (Foto: ASSESSORIA PMC)

Neste final de semana (sábado e domingo) os moradores do Conjunto Residencial Aquiles Comar, do Jardim Morada do Sol, Santa Felicidade e demais bairros próximos, assim como do distrito de São Lourenço, têm um importante compromisso com a saúde pública: a eliminação dos possíveis esconderijos de escorpiões e criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.  Para contribuir, cada morador deve providenciar a limpeza de sua residência, principalmente do quintal e entorno, retirando madeiras, entulhos, móveis e eletrodomésticos em desuso, pneus e outros materiais que possam acumular água. Os resíduos devem ser colocados em frente à casa para que, na sequência, os caminhões da Prefeitura façam a coleta.

“Escorpiões gostam de se esconder em pilhas de materiais e são atraídos por insetos que vivem no lixo ou esgoto, como baratas. Já o Aedes aegypti consegue se desenvolver em qualquer recipiente com água, até mesmo em uma tampinha de garrafa PET. Por isso, orientamos os moradores para que eliminem todo o amontoado de resíduos, ao redor ou dentro de casa. Para garantir a segurança, é necessário utilizar luvas de borracha e sapatos fechados, além de manter as crianças afastadas da ação”, alerta o secretário de Serviços Municipais, Allan Marchini.

A secretária de Meio Ambiente em exercício, Cristiane Roco, salienta que após a coleta pela Prefeitura, o morador que depositar resíduos nas calçadas, canteiros e demais vias públicas estará sujeito à multa, conforme legislação municipal. “Por isso, ressaltamos a importância de não perder o prazo do mutirão de limpeza. Esta é a oportunidade de deixar sua casa livre da sujeira, de doenças e acidentes com escorpiões”, disse, frisando que, em Cianorte, cada tipo de material possui um local específico para destino final e que, passada a data da mobilização, cada pessoa volta a ser responsável pelo descarte do lixo que produz, podendo responder legalmente em caso de prejuízo ao meio ambiente, saúde pública, Código de Posturas do Município, entre outros.

Até o momento, Cianorte registra sete casos de acidentes com escorpiões, sendo um deles com o óbito de uma criança de cinco anos, na região do Cianortinho. Além disso, o município contabiliza 172 casos notificados com suspeita de dengue e um comprovado, autóctone, no Setor 08. “A colaboração de todos é essencial para manter a cidade limpa e segura. A Prefeitura está fazendo sua parte e conta com a população para que este trabalho seja completo. Com a participação de todos, podemos evitar transtornos e tragédias”, conclui Cristiane. O próximo mutirão de limpeza será realizado nas regiões das zonas 03 e 04, nos dias 14 e 15 de outubro.

DICAS IMPORTANTES 

Em caso de se deparar com o escorpião, a recomendação é que seja feita uma ação mecânica que o mate. “Bata no escorpião com um objeto duro, que o esmague ou corte. Certifique-se de que está morto e, se for possível, faça a captura em um pote de vidro com tampa e providencie a entrega à Vigilância Sanitária, que está localizada na sede da Secretaria Municipal de Saúde, na Avenida América, nº 5.080 e que atende pelo telefone 3619-0320, para a identificação do tipo do animal e monitoramento da infestação”, explica a chefe da Divisão de Vigilância em Saúde, Heloisa Dantas.

Já as larvas do mosquito Aedes aegypti morrem quando estão em ambiente sem água. Assim, caso encontre um recipiente com foco, basta eliminar a água, virando no chão, onde tenha terra ou grama. “Nunca faça isso no ralo ou vaso sanitário, pois é preciso garantir a escassez da água para interromper o desenvolvimento do mosquito. Depois disso, é preciso realizar uma limpeza, com esponja, para soltar os ovos que possam estar grudados e manter o local seco até a destinação correta”, orienta Heloisa.