Esportes

“Leãozinho” acredita na vaga e técnico garante lutar até o fim

Time de Cianorte precisa vencer o Toledo e torcer para que o Coritiba vença o Operário
Renato Haro, técnico do Cianorte Sub-19 (Foto: MARTINS NETO / TRIBUNA)

Após um início ruim na segunda fase do Campeonato Paranaense Sub-19, o Cianorte FC chegou na última rodada do Grupo F com chances de classificação. A briga pela vaga, porém, promete ser árdua e cheia de emoção.

A situação de momento no Grupo F é a seguinte: o Coritiba, líder com 12 pontos, já está classificado. Na segunda colocação está o Operário Ferroviário, com sete pontos. Em terceiro, aparece o Toledo, com seis. O Cianorte é o último colocado com quatro pontos. As duas melhores equipes da chave avançam para a terceira fase.

Lanterna da chave, o “Leãozinho” recebe, no próximo sábado, 15, as 15 horas, a equipe do Toledo EC. Para avançar na competição, o time cianortense precisa vencer e torcer por uma vitória do Coritiba diante do Operário Ferroviário, fora de casa, no mesmo horário. Além disso, será necessário tirar o saldo de gols, que, neste momento, é de menos um, do Operário, contra menos quatro, do Cianorte.

A semana tem sido de muito trabalho. Além de trabalhar a parte motivacional dos atletas, a comissão técnica do time cianortense aumentou a carga de treinamentos de finalização. Afinal, além de vencer, a equipe precisará fazer o máximo de gols possível.

“Temos que ter calma. Não pode haver um desespero de querer fazer o terceiro gol antes mesmo do primeiro. Temos que aproveitar as chances que vamos ter e estamos trabalhando bastante em cima disso” afirmou o técnico Renato Haro.

A ordem no momento é acreditar e lutar até o final. O técnico cianortense relembrou o início ruim na segunda fase e mantém bem vivo o sonho da classificação.

“Estamos vivos. Mesmo iniciando a segunda fase com derrotas, conseguimos chegar nessa última rodada com chances. Tomara que sejamos premiados com essa vaga. Isso ficaria marcado, pois a três rodadas atrás estávamos praticamente fora. Temos que acreditar e lutar até o final” concluiu Haro.