Polícia

Lava Jato pede condenação de 14 pessoas por desvios em pedágio no Paraná

O Ministério Público Federal também requereu R$ 157 milhões em reparações: R$ 126 milhões pela lavagem de dinheiro; e R$ 31 milhões por desvios
(Foto: REPRODUÇÃO/ECONORTE)

A força-tarefa da Lava Jato ofereceu à Justiça alegações finais contra 14 pessoas por peculato, estelionato, lavagem de dinheiro e organização criminosa na concessão de rodovias federais no Paraná. São servidores públicos e gestores de empresas acusados de participar de um esquema de corrupção operado pela concessionárias de pedágio Econorte.

O Ministério Público Federal (MPF) também requereu R$ 157 milhões em reparações: R$ 126 milhões pela lavagem de dinheiro; e R$ 31 milhões, valor dos desvios da Econorte.

Adir Assad, Antônio José Monteiro da Fonseca Queiroz, Helio Ogama, Ivan Humberto Carratu, Leonardo Guerra, Marcello José Abbud, Marcelo Montans Zamarian, Nelson Leal Júnior, Oscar Alberto da Silva Gayer, Oscar Alberto da Silva Gayer Júnior, Paulo Beckert, Sandro Antônio de Lima, Sérgio Antônio Cardozo Lapa e Valdomiro Rodacki são alvos das alegações finais. Eles foram denunciados pela Lava Jato em abril de 2018.

O documento apresentado pelos procuradores é dividido em 15 partes correspondentes a diferentes fatos, em que são analisadas as provas que embasam o pedido de condenação dos réus.