Cidades

Greve geral tem baixa adesão em Cianorte

Paralisação teve atos e passeata com líderes sindicais e dezenas de trabalhadores
Manifestantes se reuniram na Praça Moraes de Barros antes de sair em passeata pela Avenida Souza Naves. (Foto: Martins Neto / Tribuna de Cianorte)

A greve geral anunciada para esta sexta-feira, 14 de junho, ficou marcada pela pouca mobilização em Cianorte. De um modo geral, a população não foi afetada e, durante o dia todo, houve expediente normal no comércio, bancos e órgãos públicos. O transporte público também operou normalmente em todos os pontos. Os colégios estaduais também funcionaram normalmente em sua grande maioria.

A pauta geral da greve teve como foco protestar contra a Reforma da Previdência e os cortes na Educação Pública. Outros temas, porém, também foram colocados em pauta, como o pagamento da data base e a valorização das categorias.

“Nossa pauta geral é contra a Reforma da Previdência. Sabemos que, dentro dos grandes centros, a organização dos sindicatos acaba sendo fortalecida. Porém, temos relatos que, no Brasil inteiro, pelo menos 30 cidades, ou pararam em greve, ou fizeram atos contra a Reforma. É importante entender que não é um ato concentrado apenas nas grandes capitais. A gente vem tendo uma adesão, mesmo que não da greve, mas do ato, e colocando a posição contrária a esta Reforma, que acaba com o direito de se aposentar” explica o professor Domingos Abel, membro da Direção da APP-Sindicato.

Por volta das 15 horas, líderes sindicais e dezenas de trabalhadores se concentraram na Praça Senador Morais de Barros, no centro da cidade, com o objetivo de chamar a atenção da população quanto às reivindicações. Estiveram presentes representantes dos sindicatos dos professores, das costureiras, dos bancários, da construção civil, da alimentação e da Seção Sindical dos Docentes da UEM. No final da tarde, o grupo saiu em passeata pela Avenida Souza Naves, até o Santuário Eucarístico Diocesano (Igreja Matriz).

ESCOLAS

De acordo com o Núcleo Regional de Educação de Cianorte, a maior parte dos colégios estaduais teve aula normalmente ontem. Dos 40 colégios da área de abrangência do núcleo, apenas dois tiveram o funcionamento afetado por, pelo menos, um período.

O Colégio Estadual Caio Moreira parou em sua totalidade no período da manhã. No período da tarde, o estabelecimento funcionou parcialmente. No Colégio Estadual Primo Manfrinato, dos 22 professores do estabelecimento, apenas 10 aderiram à greve. De manhã, o atendimento aos alunos foi de 50%. No período da tarde, apenas dois professores não compareceram, o que não afetou tanto o atendimento.

Já a APP-Sindicato, através de um membro de sua diretoria, o professor Domingos Abel, afirmou que mais colégios tiveram baixas de professores na sexta-feira, como o Colégio Estadual Igléa Grollmann, Colégio Estadual Dom Bosco e Colégio Estadual Cianorte.

“Podemos dizer que 30% dos colégios aderiram” afirma Domingos Abel.

Com relação às escolas e centros de educação infantil da rede municipal, a Secretaria de Educação de Cianorte afirmou que os estabelecimentos não aderiram à greve e atenderam normalmente.