Polícia

Filho e nora são os principais suspeitos de matar Maura Monteiro

A mulher, de 48 anos, foi encontrada morta dentro da própria casa no mês de agosto
O filho, de 21 anos, e a nora, de 23, foram presos na tarde de quarta-feira (Foto: Polícia Civil )

A Polícia Civil prendeu na quarta-feira, 20, um casal suspeito de envolvimento na morte de Maura Monteiro, 48, que teve seu corpo encontrado em estado de decomposição dentro da sua própria casa no dia 14 de agosto, na Rua Macaé, Parque das Nações, em Cianorte. Cumprindo os mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão, expedidos pela justiça local, foram detidos um rapaz, de 21 anos, filho da vítima, e a nora, de 23 anos.

O corpo de Maura Monteiro foi encontrado caído no chão de um quarto ao fundo da residência. Um dia antes de achar o corpo, o filho registrou o desaparecimento da mãe na 21ª Subdivisão Policial de Cianorte e alegou que não a via há pelo menos cinco dias. A suspeita por parte da polícia teve início após o laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontar que havia sinais de enforcamento, já que a vítima estava com um cordão enrolado em seu pescoço.

“Desde agosto a investigação vêm ocorrendo. Testemunhas foram ouvidas, outras provas foram colhidas e chegou-se a conclusão de que o filho seria o principal responsável e a nora teria participação no crime”, explica o delegado-adjunto da 21ª SDP, Carlos Gabriel Stecca.

De acordo com a PC, o péssimo relacionamento entre mãe, filho e nora pode ter motivado o crime. As brigas eram constantes e, inclusive, repletas de ameaças. Eles moravam no fundo da casa de Maura Monteiro e, frequentemente, o filho entrava na casa da mãe pelo telhado, acessando ao alçapão existente no forro.

“Seria um feminicídio em razão do péssimo relacionamento, tanto do filho quanto da nora, mas principalmente entre filho e mãe. Um relacionamento bastante doentio e repleto de ameaças”, revela Stecca.

O Dia a Dia Notícias Online divulgou em sua página alguns áudios em que o filho claramente ameaça sua mãe, que, segundo informações, trabalhava como garota de programa.

“Sua prostituta de m**, se você for na minha casa para querer ‘tocar o terror’ na minha esposa de novo, eu vou matar você, sua v**”, diz o filho em uma das ameaças feitas através de um áudio enviado em um aplicativo de mensagens.

Mesmo com todas as evidências, o casal nega a participação no crime, diz a Polícia Civil. Eles permanecem detidos temporariamente na Cadeia Pública de Cianorte até que a investigação seja concluída. Ambos seriam usuários de drogas.

Este foi o primeiro feminicídio registrado em Cianorte no ano.