Saúde

Farmácia do PR melhora qualidade de vida de mais de 100 mil pessoas

As 22 Farmácias do Paraná superaram no início de julho de 2013 a marca de 100 mil pacientes cadastrados para receber medicamentos de alto custo e uso contínuo. Localizadas nas regionais de saúde, as farmácias fornecem tratamentos para mais de 80 doenças, como Alzheimer, Parkinson, hepatites virais e esclerose múltipla, entre outras.

No ano passado o Governo do Paraná distribuiu cerca de R$ 260 milhões em medicamentos do componente especializado. “Estes medicamentos são de alto custo e garantem qualidade de vida aos pacientes”, explicou o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto. No primeiro semestre deste ano o investimento ultrapassou R$ 130 milhões.

Desde 2011, o governo estadual está readequando as Farmácias do Paraná para garantir mais conforto aos usuários e segurança na dispensação dos medicamentos. Sete unidades já foram reestruturadas.

Para ter acesso a esses medicamentos, o paciente ou responsável deve entregar na Farmácia da Regional de Saúde os seguintes documentos: receituário médico, formulário LME (laudo de medicamentos do componente especializado), cópia de exames e documentos pessoais. Após a aprovação do processo, o paciente é cadastrado e passa a retirar mensalmente o medicamento.

Diagnosticada com Alzheimer desde 2009, dona Cerenita Andrade, 93 anos, agora pode conviver normalmente com a família, pois a doença está controlada com o medicamento que recebe na Farmácia do Paraná. “Ela não dormia e nem se alimentava direito. Era muito desconfiada e ríspida com os filhos”, contou a filha, Lucia Maria Litz, 62 anos, que retira os medicamentos para a mãe todos os meses. Para ela, a mãe mudou muito com o tratamento. “Agora dorme bem, largou o cigarro e passou a fazer bordado. Vida normal”, comemora.

 

AÇÕES

O governo estadual prevê investir este ano R$ 3 milhões para a organização da Assistência Farmacêutica nos 312 municípios do Paraná com menos de 20 mil habitantes. Cada município recebe R$ 1 mil por mês para custeio, compra de mobiliário, equipamentos e computadores e para a capacitação de profissionais. Mais R$ 22 milhões serão destinados em 2013 para a compra de medicamentos básicos, distribuídos nas farmácias dos 399 municípios do Estado.