Cidades

Em busca de inovação, produtores de mandioca da região participam de encontro em Cianorte

Cultura da mandioca ainda encontra dificuldades por conta da falta de tecnologia
Encontro reuniu produtores para discutir inovações tecnológicas capazes de facilitar a produção de mandioca na região (Foto: Martins Neto / Tribuna de Cianorte )

Produtores de diversas cidades da região estiveram em Cianorte na tarde de hoje, 21, para a 15ª edição do Encontro Regional de Produtores de Mandioca da Associação dos Municípios do Médio Noroeste do Estado do Paraná. O objetivo do evento foi apresentar e discutir inovações tecnológicas capazes de facilitar a produção da cultura, que atualmente ainda encontra dificuldades por conta de métodos ultrapassados.

“É uma cultura muito importante para a economia como um todo. A cultura da mandioca é aplicada em vários setores da indústria e está no dia a dia do brasileiro. É necessário investir bastante em inovação, produtos agroquímicos em quantidade, diversidade, para que os técnicos possam recomendar aos produtores para controle de pragas e doenças. Existem poucos herbicidas registrados, então o produtor fica com o manejo restrito”, afirmou o professor e pesquisador da Unioeste, Neumarcio Vilanova da Costa, que trouxe ao evento uma palestra com o tema “Herbicidas no plantio da mandioca”.  

A falta de tecnologia também aparece com uma das grandes dificuldades impostas aos produtores de mandioca. Várias etapas não estão mecanizadas, principalmente a colheita, que em grande parte das lavouras ainda é feita manualmente. Com isso, há um gasto excessivo com a mão de obra.

 “Falta tecnologia. Tem que lançar mão de métodos antigos, como a capina manual, que ainda é utilizada e hoje é um gargalo para a cultura. Falta mão de obra e se encarece o custo de produção. Então tem que investir na questão de maquinários. Já existem no mercado as capinadoras mais inteligentes. Tem que ter mais inovação e parcerias com a iniciativa privada. As multinacionais têm que lançar mais produtos para facilitar o manejo”, completa Vilanova.

O engenheiro agrônomo e pesquisador do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Mário Takahashi, que ministrou uma palestra sobre “Novas variedades de mandioca e plantio direto”, disse à reportagem da TRIBUNA DE CIANORTE que a cultura apresenta muitas oscilações no preço, o que também atrapalha os produtores.  

“Uma questão que pesa muito para o agricultor é a oscilação de preço da cultura. A mandioca tem uma oscilação mais intensa neste quesito. No momento, ela está passando por um período de preço um pouco mais baixo” disse Takahashi.

“Uma questão que pesa muito para o agricultor é a oscilação de preço", afirmou agrônomo e pesquisador do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Mário Takahashi.

 

O evento ainda contou com uma palestra do engenheiro agrônomo da Emater, Jorge Maurino da Silva, explicando sobre “A cultura da mandioca na reforma de pastagem no sistema silvipastoril”.

PRODUÇÃO NA REGIÃO

Nas 11 cidades que compõem a Associação dos Municípios do Médio Noroeste do Estado do Paraná (Amenorte), a área plantada na última safra foi de 26.1 mil hectares. A produção girou em torno de R$ 273 milhões. Maior cidade da região, Cianorte conta com uma área plantada de 13.070 hectares, com uma produção de R$ 136 milhões. Os dados referentes à safra atual ainda não foram consolidados.