Variedades

Dia das Crianças: o que fazem os filhos da geração Coca-Cola?

No século 21 os pequenos estão cada vez mais “tecnológicos”

 

 

Ontem (12) foi comemorado o Dia das Crianças, uma das datas mais esperadas do ano pelo pequenos. Os brinquedos tradicionais deram espaço aos mais tecnológicos e hoje em dia criança com menos de 5 anos já sabe mexer em computadores, celulares e tablets. A Tribuna conversou com alguns filhos da “geração coca-cola”, que passam longe de brincadeiras como o carrinho de rolimã, pique-esconde e “casinha”.

Maria Eduarda Aya Hayashi tem 7 anos, ela nasceu no Japão e veio para o Brasil com 2 anos de idade. Duda, como é chamada, tem I Pad e segundo a mãe, Maria Renata Shitani, desde os 3 anos mexe no computador. “Assim que ela começou a ser alfabetizada já acessava o YouTube para ver desenhos animados, mas controlo bastante o acesso dela. Acho importante esse contato com a tecnologia para o desenvolvimento intelectual dela. Na minha época não era assim”, refletiu Renata, lembrando que o primeiro contato com o computador foi aos 14 anos. “E era só para e-mail e bate-papo [risos]”.

O estudante Felipe Lopes Masatto, de 10 anos, também faz parte desse novo grupo de crianças. Ele conta que ganhou o primeiro computador aos 8 anos, mas garante que já sabia lidar com o aparelho desde os cinco. “Ganhei o computador dos meus pais depois de pedir muito, mas sempre mexia no computador dos meus amigos e parentes. Uso para joguinhos e pesquisas da escola”, contou Felipe, destacando que para este ano o presente foi um helicóptero de controle remoto. “Pra eu sair voando por ai [risos]”.

Felipe nunca fez curso, pretende ingressar no ano que vem, mas diz não ter dificuldades com a tecnologia. “A gente vai mexendo até que aprende. Sei usar o celular Android e fazer muitas coisas no computador”, afirmou.

 

Pesquisas

Felipe faz parte dos 42% de usuários entre 9 e 10 anos que têm o próprio perfil nas redes sociais. Apesar de ser mais nova, Duda também se enquadra na pesquisa realizada no ano passado pela TIC Kids Online. Conforme o estudo, a presença dos jovens nessas redes aumenta de acordo com a faixa etária. Entre os adolescentes de 15 e 16 anos o índice é de 83%.

O TIC Kids Online Brasil também apontou que o uso da internet por jovens deixa os responsáveis preocupados. Do total de pesquisados, 10% afirmou que não têm controle algum do que os filhos fazem online. Apenas 38% dos entrevistados afirmaram ter noção de todas as ações que os filhos realizam na web.

“Tento controlar o máximo o que ela faz no computador, porque se deixar ela fica o dia todo. Incentivo ela a brincar mais com joguinhos educativos, como de memória e o xadrez online que ela gosta. Quanto ao perfil eu tenho total acesso, conheço todos os amigos dela que estão adicionados, se aparece alguém diferente eu já questiono”, contou a mãe da Duda.