Saúde

Dermatologista indica cuidados com a pele durante exposição ao sol

"Desde cedo a radiação solar já está presente. O ideal é que desde o início da manhã a gente já use o filtro solar", orienta a dermatologista Cristiana Silveira sobre a importância de proteção diária e constante da pele durante o verão, período em que as pessoas se expõem mais ao sol.

Segundo a dermatologista, não há uma recomendação segura sobre tempo mínimo de exposição para garantir um pouco de bronzeado.  "O tempo de segurança depende do tom de pele da pessoa, do índice de radiação ultravioleta, da área onde você está morando e do horário. Então, quando nós percebemos que está ardendo, isso é um sinal tardio. Devemos nos expor o mínimo possível", orienta.

A dermatologista Cristiana Silveira também explica que as pessoas que ficam debaixo do sombreiro não estão livres dos riscos trazidos pela radiação ultravioleta. "Depende do material do sombreiro. O sombreiro que é feito de náilon, por exemplo, ele protege só 15%. O sombreiro de lona ou de algodão protege algo em torno de 50%. O ideal é um sombreio que tenha proteção ultravioleta. O ideal é que a pessoa compre seu sombreiro", aconselha.

Conforme a dermatologista, o protetor solar de fator 30 é suficiente para todos os tons de pele. "[Esse protetor], protege mais 95% da radiação solar. Mais importante do que o fator é a reaplicação", orienta. Ela ainda conta que o pior horário de exposição ao sol é entre 10h e 15h.

Sobre as maquiagens com proteção, Cristina Silveira explica que o uso é indicado em locais fechados. "Não é o ideal para o uso em praias, quando você vai tem uma exposição solar mais intensa", indica.