Polícia

Depen transfere 22 presas de Cianorte para unidade prisional de Goioerê

Em contrapartida, a Cadeia Pública de Cianorte receberá 22 detentos
Vinte e duas presas foram transferidas de Cianorte para Goioerê (Foto: DEPEN)

O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) realizou, nesta quarta-feira, 28, a transferência de 22 detentas da Cadeia Pública de Cianorte para a de Goioerê, que passou a ser uma unidade prisional destinada exclusivamente a mulheres. Em contrapartida, outros 22 detentos seriam transferidos para Cianorte até esta quinta-feira, 28.  

De acordo com o Depen, no mesmo processo, foram transferidos mais 30 homens e outras 29 detentas de Goioerê para Umuarama. No dia 31 de julho, já haviam sido transferidos para Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste outros 52 homens presos.

O objetivo foi retirar todos os homens da Cadeia de Goioerê para implantação da cadeia feminina, que tem como objetivo atender a demanda da Regional do Depen de Maringá e das Comarcas da área da Vara de Execuções Penal de Cruzeiro do Oeste. Os homens presos em flagrante ou no cumprimento de mandados de prisão na Comarca de Goioerê para a continuidade do projeto serão transferidos semanalmente para outras unidades do departamento na região após os procedimentos.

A operação contou com grande aparato de segurança, além dos agentes penitenciários do Setor de Operações Especiais de Maringá, agentes da Regional do Depen em Maringá, da Central de Transportes de Maringá e policiais civis de Goioerê.

“O objetivo deste projeto é proporcionar uma custódia adequada. Em muitas cadeias da região as mulheres presas sequer tem um solário para o banho de sol. Também queremos proporcionar algum tipo de atividade educacional e o trabalho para essas mulheres visando o resgate da autoestima, dignidade, e o tratamento penal efetivo e reduzir a reincidência delas no crime” afirmou o agente penitenciário Luciano Brito, coordenador Regional do Depen em Maringá.

A Cadeia Pública de Goioerê terá a capacidade máxima para 100 mulheres ao término das adequações físicas do espaço. Além de reparos em várias celas, o projeto prevê adequação de espaços para salas de aula, trabalho e ambulatório médico.

O Depen pretende ofertar a todas as presas oportunidades de trabalho, escolarização e profissionalização em parcerias com o Judiciário, Ministério Público e Conselhos da Comunidade e de Segurança de Goioerê. (Com informações do Depen)