Saúde

Consultas farmacêuticas contribuem no tratamento de diabéticos em Cianorte

Iniciativa atende pacientes da Vila Sete e do Marselha com dificuldade no controle da glicemia e apresenta bons resultados
Consultas levam cerca de uma hora e são realizadas pela farmacêutica Andressa Domingues Lofrano, na companhia de um agente de saúde (Foto: ASSESSORIA PMC )

Em Cianorte, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Divisão de Assistência Farmacêutica, desenvolve, desde setembro deste ano, um projeto inédito com pacientes que possuem diabetes mellitus tipo dois e não controlam adequadamente sua glicemia. Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Vila Sete e Alfredo Dalla Costa (Marselha) promove as chamadas “consultas farmacêuticas”, uma espécie de assistência que estimula o tratamento e, consequentemente, a adoção de hábitos de vida saudáveis. Os atendimentos acontecem nas próprias unidades e nos domicílios, para aqueles que possuem dificuldade de locomoção.

Conforme explica a secretária da pasta, Michelly Polyana Viguiato Pricinotto, o esforço contribui para a melhora do quadro de saúde dos pacientes. “A maior dificuldade que os nossos profissionais encontram ao abordá-los é a baixa adesão ao tratamento, principalmente em relação às mudanças dos hábitos de vida”, relata. “Por conta disso, criamos esse projeto de educação em saúde, que presta esclarecimentos individualizados para que este indivíduo se torne ativo no tratamento e obtenha o controle dos índices de glicose no sangue”, completa.

As consultas levam cerca de uma hora e são realizadas pela farmacêutica Andressa Domingues Lofrano, na companhia de um agente de saúde. A profissional identifica os motivos que dificultam a adesão ao tratamento, estimula o autocuidado e presta orientações sobre o manejo dos insumos, como a aplicação, o armazenamento e o descarte. “Como a insulina se trata de um medicamento injetável são necessários vários cuidados e esse contato mais próximo nos dá uma dimensão das dificuldades enfrentadas, muitas vezes relacionadas a questões simples de solucionar, e favorece o auxílio”, aponta.

A paciente Neusa Nogueira, que mora no Jardim São Francisco, recebeu a equipe pela terceira vez em sua residência nessa quinta-feira (07), e disse que notou melhoras no seu índice glicêmico. “Eles esclarecem todas as minhas dúvidas”, contou. “As orientações que fornecemos aos pacientes são muito bem acolhidas e isso contribui para o surgimento de bons resultados”, complementa a farmacêutica, que não solicita exames, medicamentos e alterações das condutas médicas. Após a consulta, ela compartilha os casos na UBS referência do paciente, com os demais membros da Equipe de Saúde da Família, para que seja traçada uma estratégia eficaz de tratamento.

Desde que a inciativa começou, foram realizadas 62 consultas, com 39 pacientes. Tendo em vista os resultados que indicam a diminuição de glicose no sangue em muitos dos casos, a administração municipal estuda a possibilidade de expandir o projeto para outras unidades. “Um atendimento cada vez mais humano e próximo das pessoas. Assim que trabalhamos para melhorar a saúde no nosso município. Esta iniciativa tem tudo para continuar e ser ampliada”, conclui o prefeito Claudemir Bongiorno.

DOENÇA

Conforme dados da Organização Mundial de Saúde, uma em cada onze pessoas no mundo possui diabetes. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, entre 2006 e 2016, houve um aumento de 60% no número de diagnósticos da doença. “Neste tipo de enfermidade é preciso que haja o controle da glicemia, do contrário aumenta-se o risco de complicações de saúde, como AVC e infarto e o surgimento de patologias relacionadas aos sistemas vascular, renal e visual, podendo levar o paciente à cegueira, amputação, hemodiálise e morte prematura”, relata a chefe da Divisão de Assistência Farmacêutica, Luana Dornellas Morelli.