Cidades

Comércio começa a se aquecer com a expectativa da voltas às aulas

Papelarias e lojas do ramo já começa a registrar a procura por material escolar. (Foto: ULISSES FAUSTINO.)

Com as aulas voltando em fevereiro, mães e pais de alunos começam a comprar materiais escolares, aumentando o movimento em livrarias e papelarias. Em dezembro a procura por materiais escolares já começou a aumentar em função dos presentes de Natal, mas os comerciantes contam com um maior volume de vendas nos primeiros meses do ano.

A empresária Josenilde Barreto Apolônio tem uma livraria há doze anos e confirma o hábito do consumidor de comprar o material em cima da hora, mas diz que neste ano um número maior de clientes está indo às compras com certa antecedência. “Começamos a receber as listas de materiais escolares em dezembro, com uma boa procura, e na semana passada, a primeira do ano, já tivemos um movimento muito bom. Nessa semana, novamente”, afirma. As maiores vantagens de se antecipar nas compras, garante, não são preços mais baratos, mas sim o estoque cheio e com várias opções de cadernos, mochilas, estojos, entre outros produtos. Além disso, as lojas não ficam tão movimentadas como no início de fevereiro”, explica.

Neste cenário, as expectativas são variadas com relação às vendas em 2019. Enquanto nas livrarias e papelarias existe um otimismo, em pequenos comércios que vendem materiais escolares entre outros produtos se observa certo ceticismo. A insatisfação nestes casos é com as vendas em geral, e não com os objetos utilizados nos colégios.

Mas se existem divergências quanto ao desempenho neste ano, é unânimidade que as crianças têm procurado os produtos apresentados pelos influenciadores digitais. Os youtubers, blogueiros e outros jovens famosos na internet são a maior referência nas compras. A aposta para este ano são os temas de desenhos de animais, como lhamas, ou criaturas como unicórnios. Além, é claro, dos super-heróis, que são, ano após ano, garantia de sucesso.