Saúde

Cianorte tem cinco casos de gripe

Em toda a região, 12 pessoas foram diagnosticadas com o vírus neste ano; no Paraná, já são 509
Em Cianorte, as vacinas liberadas à população acabaram em menos de seis horas (Foto: DIVULGAÇÃO / PREFEITURA DE CURITIBA)

O boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) divulgado nesta quarta-feira (1°) confirma cinco casos de gripe em Cianorte, sendo dois diagnosticados com o vírus Influenza A(H1N1) e três com o subtipo A(H3). A pasta não divulgou informações sobre os pacientes. Procurada, a assessoria de comunicação disse que só repassa dados relacionados aos óbitos. Ao todo, a 13ª Regional de Saúde acumula 13 casos desde o início de 2018, sendo um em Cidade Gaúcha, um em Japurá, um em Rondon, três em Tapejara, dois em Tuneiras do Oeste e cinco em Cianorte.

Em todo o Paraná, o número de confirmações da doença chegou a 509 nesta semana e o número de mortes subiu para 77. Segundo a Sesa, em uma semana, 32 pessoas foram internadas por complicações da gripe e 12 morreram.

As cidades com o maior número de mortes por gripe registradas são Curitiba, com 13 óbitos; Londrina, com 11; Maringá, seis e Foz do Iguaçu, quatro.

De acordo com a secretaria, entre as vítimas fatais, 28,6% eram mulheres e 71,4% homens; 61% tinham mais de 60 anos e 80% tinham pelo menos um fator de risco para a doença, sendo que 76% foram vacinadas.

 

IMUNIZAÇÃO

A campanha de vacinação contra a gripe durou quase dois meses no Paraná, mas a procura ficou abaixo do esperado. Com o fim do prazo, o Governo do Estado liberou as doses restantes para toda a população. A vacina protege contra os três sorotipos mais comuns do vírus: H1N1, H3N2 e Influenza B.

TRATAMENTO

A recomendação da Sesa é que o tratamento seja iniciado o mais breve possível, nas primeiras 48 horas após o aparecimento dos sintomas. O medicamento antiviral pode reduzir a duração dos sintomas e, principalmente, a redução da ocorrência de complicações da infecção pelo vírus Influenza, se ministrado precocemente.

Segundo a pasta, no caso de pacientes gestantes com infecção por Influenza, o maior benefício em prevenir falência respiratória e óbito foi demonstrado nos casos que receberam tratamento até 72 horas.

Ao apresentar sintomas, o paciente deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência. (Com informações G1 e Paraná Portal)