Cotidiano

Cianorte tem abril mais seco dos últimos nove anos

Durante os últimos 30 dias a precipitação pluviométrica não passou dos 14 milímetros
["No Jardim Atl\u00e2ntico o n\u00famero de ocorr\u00eancias tem aumentado ainda mais com a seca","",""] (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

Não chove em Cianorte desde o dia 17 de abril, de acordo com os dados do Instituto Meteorológico Simepar. A estiagem já dura 15 dias e o baixo volume de chuvas acumulado no mês de abril – apenas 14 mm – contribuem para o aumento de doenças respiratórias na população e registros de incêndios ambientais. Segundo o Simepar, a média história de abril é de 123 mm de chuva em todo o mês. Em 2009, choveu apenas 4,6 mm e em 2007 não houve registros de precipitação.

O meteorologista Lizandro Jacobsen explica que as massas de ar seco que estão estacionadas na região continuam inibindo a entrada de frentes frias e a formação de chuvas. “Normalmente, esta época do ano é mais seca, mas com a influência do fenômeno La Niña a escassez de chuvas está ainda mais intensa. A previsão é de que o mês de maio também seja seco e tenha um volume de chuvas abaixo da média”, afirma.

Segundo ele, há uma tendência de chuva prevista para o dia 10 e um pequeno resfriamento nos dias 11 e 12. Depois, pode voltar a chover no dia 15, mas as formações ainda podem se alterar bastante até lá.

MEIO AMBIENTE

Com o abril mais seco desde 2009, o Corpo de Bombeiros local atendeu quase uma ocorrência de incêndio ambiental por dia na região. Ao todo, foram 26 no mês, enquanto que em 2017 foram apenas oito registros.

O sargento Juliano Stefanuto Erichsen explica que a maioria das queimadas são provocadas por pessoas que colocam fogo em terrenos vazios. “Geralmente temos uma incidência maior de incêndios deste tipo nos meses mais frios, entre junho e agosto. Mas este ano a quantidade de atendimento realmente foi alta e a grande maioria é provocada pelos próprios moradores”, disse.

A prática é proibida por lei e configura-se como crime ambiental. O Ministério Público (MP) também proíbe a aplicação de veneno em área urbana. Quando a Secretaria Municipal do Meio Ambiente identifica o autor da ação, um processo judicial é encaminhado ao MP. Nesses casos, o responsável pode sofrer sanções administrativas e até responder por crime ambiental.

Para denunciar aplicações de veneno ou fogo, a orientação é entrar em contato com a Secretaria do Meio Ambiente pelo 3631-6463. Em casos de incêndio, o Corpo de Bombeiros pode ser acionado pelo 193.

LA NIÑA

O La Niña é um fenômeno que provoca o resfriamento das águas do Oceano Pacífico e afeta o comportamento climático no continente americano e em outras regiões do planeta. No Brasil, a quantidade de chuvas aumenta entre os meses de dezembro e fevereiro e o inverno fica mais seco nas regiões sul e sudeste.