Cotidiano

Cianorte registrou temperatura de 0,3°C nesta terça

Agricultores da região cafeeira continuam em alerta para os próximos dias; pastagens foram prejudicadas pela massa de ar polar
["No Jardim Atl\u00e2ntico, em Cianorte, os vidros dos carros acumularam uma fina camada de gelo ","",""] (Foto: RAFAEL PEREIRA MALAQUIAS)

A massa de ar polar que chegou ao país nesta segunda-feira (17) provocou uma brusca mudança climática em todo o estado do Paraná. Algumas cidades registraram temperaturas abaixo de zero e fenômenos como neve, chuva congelada e geada foram observados. De acordo com o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), a temperatura mais baixa registrada em Cianorte na madrugada de terça (18) foi de 0,3°C. Os termômetros também despencaram em outras cidades da região, como Umuarama e Paranavaí, que registraram 0,8°C e 0,1°C, respectivamente. Londrina foi considerada a cidade “mais quente” do Paraná nesta terça, marcando 6,3°C.

Nesta terça (18), a geada atingiu regiões mais baixas do noroeste. Segundo a assessoria de imprensa da Cocamar, “a geada registrada nesta terça não causou dano às lavouras da região de Cianorte. O que mais sofreu foram as pastagens, que já estavam com dificuldades de desenvolvimento por causa das secas. Também não houve dano nas lavouras de milho, pois o grão já está em fase de colheita”. 

O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) alertam que a previsão de geadas continua para esta quarta-feira (19) em toda a zona cafeeira paranaense, que abrange as regiões do Norte Pioneiro, Norte, Noroeste e parte do Oeste do Estado. As informações são do serviço Alerta Geada, mantido até o fim do inverno para auxiliar produtores rurais na prevenção e redução de perdas agrícolas.

COMO SE PREVENIR

Para os próximos dias, a recomendação para os plantios novos, com até seis meses de campo, é enterrar as mudas. Viveiros devem ser protegidos com várias camadas de cobertura plástica ou aquecimento, com a opção de adotar as duas práticas simultaneamente. Nos dois casos – lavouras novas e viveiros – a proteção deve ser retirada logo que a massa de ar frio se afaste e cesse o risco imediato de geada.

Nas lavouras com idade entre seis meses e dois anos, a recomendação é amontoar terra no tronco das plantas até o primeiro par de folhas. Essa proteção deve ser mantida até meados setembro e depois retirada com as mãos.

O Alerta Geada mantém a possibilidade do fenômeno para os próximos dias. A orientação é que os cafeicultores acompanhem atentamente as previsões meteorológicas. As informações atualizadas estão disponíveis no site do Iapar, Simepar ou pelo disque-geada: (43) 3391-4500.

OUTRAS CULTURAS

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado de Abastecimento e Agricultura, as baixas temperaturas que chegaram ao Paraná nesta semana podem ocasionar perdas para a agricultura do estado. As lavouras de trigo, hortaliças e do milho são as que mais preocupam, além da produção do leite.

O trigo, que começou a ser plantado em abril, é a cultura mais suscetível às mudanças climáticas, pois está em fase de frutificação e maturação. Cerca de 48% do grão ainda está em campo, principalmente nas regiões do Sul do estado, que são as mais afetadas pelo frio. “Por causa do clima, o potencial de produção deste ano, que é de três milhões de toneladas, deve ser reduzido”, relata o agrônomo do Deral, Carlos Hugo Godinho.

Nos últimos anos o inverno no Paraná foi ameno e não houve perdas significativas. Em 2016, que não teve um inverno tão rigoroso, 3,5 milhões de toneladas de trigo foram colhidas no Estado.

De acordo com o coordenador de conjuntara agropecuária do Deral, Marcelo Garrido, as hortaliças também são sensíveis à frente fria, assim como o leite. No caso do leite, os produtores precisam completar as pastagens perdidas pelas geadas. “É mais uma questão de aumento do custo de produção do que de perda, como nas outras culturas”, salienta Garrido.

Os agricultores do trigo não têm o que fazer para proteger as plantações, já que as lavouras são extensas. “O plantio escalonado, que poderia amenizar as perdas, já deveria ter sido realizado”, relata Garrido. “Em relação às hortaliças, o produtor consegue amenizar os impactos do frio cobrindo a plantação, por exemplo, com tecidos TNT’s”, acrescenta ele.

O milho não preocupa tanto o Deral, já que cerca de 80% da área plantada do grão está localizada na região Norte, a mais quente do Estado, que não é tão suscetível ao frio como a região Sul.

PREVISÃO

Segundo o Simepar, a massa de ar com características polares que se estabelece sobre a região sul do Brasil continua causando uma forte queda das temperaturas em todo o Paraná. A formação de geada branca e negra se mantém para os próximos dias em regiões mais frias.

Algumas regiões do país consideradas quentes também sofreram forte queda nas temperaturas, como é o caso do Oeste e Noroeste do Paraná e também o estado de Mato Grosso do Sul.
Em Cianorte, a temperatura mínima prevista para esta quarta-feira (19) é de 3°C e a máxima de 20°C. Na quinta-feira (20), as temperaturas devem variar entre 5°C e 21°C, segundo a previsão do Simepar. O frio intenso só deve se afastar da região no final de semana.