Esportes

Cianorte Futsal comemora título de vice-campeão da Taça Brasil

Mesmo com muito desgaste físico, equipe cianortense foi a segunda melhor da competição nacional
Vice com gostinho de campeão: atletas comemoraram a superação dos obstáculos (Foto: THAISE OLIVEIRA)

O Baterias Júpiter/Unipar/Cianorte Futsal conquistou mais um importante resultado para o esporte cianortense, o vice-campeonato na Taça Brasil de Futsal Feminino, disputada em Telêmaco Borba (PR), na última semana.

No sábado, 6, o time cianortense acabou sendo derrotado na final pela Female/Chapecó (SC), por 4 a 1. A equipe catarinense já havia conquistado o título em 2017. Agora, as equipes voltam a se enfrentar na Supercopa, jogo que define o representante brasileiro na Taça Libertadores da América em 2019. O confronto está marcado para março do ano que vem.

Apesar de ter perdido a final, o Cianorte Futsal comemorou, e muito, o segundo lugar. Afinal, a equipe foi além do que foi planejado ainda no início do ano.

“A sensação é de dever cumprido. No início do ano fizemos um planejamento de ficar entre os quatro na Copa do Brasil e na Taça Brasil. Acabamos sendo campeões em uma, e vice em outra. O grupo comemorou o vice como se fosse um título. O que vale é a experiência e nós estamos muito contentes pelos objetivos que foram cumpridos” afirmou Cleverson Santana, técnico do Cianorte Futsal.

OBSTÁCULOS

Do título da Copa do Brasil, conquistado no dia 22 de setembro, ao vice na Taça Brasil, a equipe de desdobrou para passar por cima de todas as dificuldades. Além do desgaste, o time perdeu a goleira e capitã Júlia Melz, por lesão, logo na primeira rodada da Taça Brasil.

Depois, mostrou superação ao conquistar, na última rodada da primeira fase, a vaga na semifinal. Na semi, mais um “teste de fogo”: o Telêmaco Borba, time anfitrião. Mas novamente as “Poderosas” mostraram que tudo é possível, vencendo por 2 a 1 e despachando da competição o time da casa diante de seus torcedores. As dificuldades em quadra se tornaram apenas um detalhe diante de tudo o que a equipe passou fora dela. Desgaste físico, psicológico e, principalmente, falta de estrutura.

“Todos os nossos adversários na primeira fase folgaram um dia antes de nos enfrentar. Enfrentamos equipes descansadas enquanto estávamos ‘quebrados’. Já saímos de Cianorte com o grupo reduzido e cansado. Mas driblamos todas essas dificuldades. Para se ter ideia, fomos a única equipe que não possuía uniforme de passeio na Taça Brasil. Inclusive passamos vergonha no refeitório por não termos esse uniforme, que acabou não nos caracterizando como uma equipe de futsal. Todas as equipes ficaram em hotel, com duas atletas em cada quarto. Nós ficamos num quarto cheio de beliches, todo mundo embolado, sem espaço para guardar malas, com colchões ruins. As atletas acordavam com dores nas costas. Elas se estressaram demais com isso. A competição em si foi muito massacrante para nós” desabafou Cleverson.

Para melhorar a estrutura, o clube planeja montar uma diretoria e designar cargos que possam trabalhar em busca de avanços.

“Em outubro formaremos uma diretoria, trazendo pessoas para trabalhar com a gente. Visamos montar uma equipe mais estruturada e organizada para o ano que vem. Precisamos também valorizar as meninas que já estão aqui. Sabemos que temos condições de chegar mais longe”.

Agora, a equipe foca somente na sequência do Campeonato Paranaense, que está com a segunda fase em andamento. O próximo compromisso pela competição acontece no sábado, 13, em Londrina, contra a equipe da casa.