Cidades

Chuva diminui movimento no comércio para o Dia das Crianças

Empresários locais do segmento não arriscam falar em alta nas vendas em relação ao ano passado
Comerciantes oferecem pipoca e algodão doce de graça para atrair clientes (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

O Dia das Crianças, comemorado nesta sexta-feira (12) no Brasil, é considerado uma das datas mais importantes do comércio, porque funciona como um termômetro para o Natal. Em Cianorte, a expectativa geral é atrair consumidores e manter a média de vendas de 2017. Para isso, as lojas ficarão abertas até as 22 horas nesta quinta-feira (11).

Além do horário especial, lojistas apostam em promoções, atrativos e tempo bom. Segundo a gerente de uma loja de roupas infantis, Edinéia Barbosa, “o movimento foi bom no sábado - quando a abertura foi até as 17 horas - mas começou a diminuir durante a semana com a chuva”. A Associação Comercial e Empresarial de Cianorte (Acic) organiza uma ação recreativa com brinquedos infláveis, cama elástica, brincadeiras e pipoca de graça. As atrações começam às 14 horas e seguem até as 22 horas, na Praça Antônio Moraes de Barros.

A sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) mostra que o valor médio de gastos para o Dia das Crianças deve ficar em torno de R$87 por presenteado, e será maior do que o tíquete médio dos dois últimos anos, em que o presente tinha em média R$75 e R$79,53, respectivamente.

A proprietária de uma loja de variedades, Ana Aparecida de Oliveira, observa que a maioria dos consumidores está disposta a gastar até R$ 100. “O pessoal procura muito brinquedos mais baratos para doação, mas quando optam pelos maiores gastam um pouco mais”, afirma. Segundo ela, ainda não há estimativa de crescimento em relação ao ano passado, mas a média de vendas deve ser mantida.

Ainda de acordo com a pesquisa da Fecomércio, os brinquedos serão a principal opção para presentear, com a preferência de 66,1% dos consumidores, incluindo bonecas ou bonecos de personagens (21,2%), jogos educativos (33,9%) e outros tipos de divertimentos (11%). Mas as lojas de departamentos, artigos de vestuário e calçados, livrarias, lojas de eletrônicos e cosméticos também poderão registrar aumento nas vendas.

Sapatos e roupas somam 40,4% das intenções de compras. Eletrônicos, como tablets, celulares e videogames, correspondem a 13,8% das intenções de presente. Os livros foram citados por 9% dos consumidores. Outros 3,5% devem optar por presentear a criança com dinheiro, para que ela compre o que preferir. Apesar de ser febre entre o público infantil, os cosméticos serão a escolha de apenas 0,5%.