Saúde

Casos de dengue saltam de sete para 1.280 casos em apenas um ano

Em Cianorte, foram 655 casos confirmados e 1.563 notificações nos últimos 12 meses
Mesmo com ações promovidas pela saúde, Cianorte teve 655 casos de dengue confirmados nos últimos 12 meses (Foto: Arquivo/Tribuna )

O 44º boletim epidemiológico da dengue divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na terça-feira, 30, consolidou os dados do ciclo 2018/2019 e trouxe um alerta para os 11 municípios abrangidos pela 13ª Regional de Saúde de Cianorte. De agosto do ano passado até julho deste ano, foram 1.280 casos confirmados e 2.738 notificações da doença na região de Cianorte. Os números são bem maiores em relação ao ciclo anterior (2017/2018), que teve apenas sete casos confirmados e 283 notificados. O aumento é de mais de 18.000% nos casos confirmados.  

Nos últimos 12 meses, a Capital do Vestuário, que tem 82 mil habitantes, registrou 655 casos confirmados e 1.563 notificações da doença. No ciclo anterior, apenas três casos foram confirmados e 193 notificações. O aumento no número de casos confirmados ultrapassa 21.000%.

Se levar em consideração o número de registros e sua população, o caso mais grave da região é o município de Japurá. Com pouco mais de nove mil habitantes, a cidade registrou 423 casos confirmados nos últimos 12 meses. No ciclo anterior, não houve registros da doença.

Na contramão, Tuneiras do Oeste registrou apenas duas confirmações de dengue no ciclo 2018/2019. O município, que tem 8,8 mil habitantes, não teve casos de dengue no ciclo anterior, quando houve apenas 36 notificações.

De acordo com Rodrigo Said, coordenador geral dos programas nacionais de controle e prevenção da malária e as doenças transmitidas pelo Aedes, o aumento nos casos de dengue mesmo fora do verão se deve a vários fatores.

“Nos últimos dois anos o país passou por períodos fora da sua sazonalidade, com redução de casos, e, desde o ano passado, as condições ambientais foram propícias para a proliferação dos mosquitos com aumento de temperatura e mais chuvas” afirma Said.

PARANÁ

O ciclo epidemiológico da dengue chega ao fim com o registro de 23 mortes no Paraná. De agosto do ano passado até julho deste ano, 22.946 casos foram confirmados. O ciclo que termina foi mais intenso do que o anterior (2017/2018), quando houve 992 casos e apenas duas mortes relacionadas às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

O aumento expressivo dos dados (+ 1.050% no número de mortes e + 2.213% no número de casos confirmados) pode ser explicado, em parte, pela circulação de outros tipos do vírus da dengue no Paraná. Há pelo menos quatro variações de sorotipos, identificados pelas siglas DEN-1, DEN-2, DEN-3, DEN-4.

As pessoas infectadas pela dengue criam imunidade ao sorotipo que foram expostas. No entanto, quando entram em contato com uma variação do vírus, podem desenvolver a forma mais grave da doença. Por esse motivo, a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) alerta para a possibilidade dos números aumentarem no ciclo 2019/2020.

“O risco é alto devido à circulação do novo sorotipo do vírus da dengue [DEN-2]. Pessoas infectadas por subtipos diferentes em um período anterior podem evoluir para formas mais graves da dengue”, explica o médico epidemiologista Enéas Cordeiro de Souza Filho.

” Por isso, reafirmamos que este é o momento da eliminação dos criadouros “, completa. (Com informações do Paraná Portal)

TABELA REGIÃO

C: CONFIRMADOS

N: NOTIFICAÇÕES

CIANORTE

  • 2017/2018: 03 C - 193 N
  • 2018/2019: 655 C - 1.563 N

CIDADE GAÚCHA

  • 2017/2018: 00 C - 03 N
  • 2018/2019: 43 C - 83 N

GUAPOREMA

  • 2017/2018: 00 C – 01 N
  • 2018/2019: 03 C – 13 N

INDIANÓPOLIS

  • 2017/2018: 00 C – 01 N
  • 2018/2019: 22 C – 30 N

JAPURÁ

  • 2017/2018: 00 C – 36 N
  • 2018/ 2019: 423 C – 600 N

JUSSARA

  • 2017/2018: 00 C – 02 N
  • 2018/2019: 28 C – 125 N

RONDON

  • 2017/2018: 00 C – 12 N
  • 2018/2019 – 19 C – 63 N

SÃO MANOEL DO PARANÁ

  • 2017/2018: 00 C – 01 N
  • 2018/2019: 07 C – 30 N

SÃO TOMÉ

  • 2017/2018*
  • 2018/2019: 08 C – 39 N

TAPEJARA

  • 2017/2018: 00 C – 16 N
  • 2018/2019: 70 C – 178 N

TUNEIRAS DO OESTE

  • 2017/2018: 04 C – 18 N
  • 2018/2019: 02 C – 14 N

* No ciclo 2017/2018, o boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) não constam os dados do município de São Tomé.