Saúde

Casos de dengue saltam de 2 para 10 e Saúde contrata agentes para conter avanço

Prefeito Claudemir Bongiorno determina aumento da equipe para combater proliferação do aedes
Agente da Divisão em Vigilância em Saúde estuda mapa que indica pontos da cidade com maior índice de criadouros do aedes. (Foto: ASSESSORIA PMC )

Preocupado com o avanço da dengue em Cianorte, o prefeito Claudemir Bongiorno autorizou nessa semana, a contratação de mais seis agentes de combate a endemias, que vão auxiliar no combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti no município. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou nesta quarta-feira (13), o aumento de 2 para 10, todos autóctones, do número de casos positivos da doença. A quantidade é vista com muita preocupação pelo Executivo, o que resultou na determinação da contratação dos novos servidores.

Segundo os dados apresentados pela Secretaria, o local com maior índice de criadouros do mosquito é a Zona 03, porém, em todos os bairros, foram localizadas larvas do Aedes aegypti. “Nas localidades em que encontramos os focos, nós fazemos o bloqueio-controle. Os moradores estão sendo notificados, mas se não houver conscientização por parte da população, nosso trabalho será em vão”, comentou a supervisora do Programa de Combate à Dengue, Vera Lúcia Fusisawa.

"Esta é uma luta que todos nós temos um papel essencial. Os moradores precisam permitir a entrada do agente e acompanhá-lo na vistoria dentro e fora da casa, para a identificação de possíveis focos e orientações necessárias para evitar a proliferação do mosquito transmissor", explicou a chefe da Divisão de Prevenção em Saúde Heloisa Dantas. “O cenário é muito preocupante, pois, a Dengue pode levar a complicações e até à óbito. É preciso ficar atento, a eliminação dos criadouros ainda é a principal medida preventiva a ser tomada”, concluiu.

A orientação da Secretaria Municipal de Saúde é para que, nos primeiros sintomas da doença, a pessoa se dirija às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), para que o diagnóstico inicial e a notificação sejam feitos. Os hospitais ficam na retaguarda, recebendo os casos que exigem maior atenção e internação clínica. Os principais sintomas da dengue são febre alta, dores articulares, musculares e de cabeça, manchas avermelhadas na pele e indisposição.