Saúde

Casos confirmados de dengue dobram na região

Em uma semana, duas crianças foram diagnosticadas com dengue em Cianorte e Tuneiras do Oeste
Novos casos de dengue reacendem o alerta para eliminar criadouros mesmo no inverno (Foto: ASSESSORIA PMC)

O segundo caso de dengue do ano em Cianorte foi confirmado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta semana. O boletim epidemiológico divulgado na terça-feira (5), aponta que outro caso também foi confirmado na região, em Tuneiras do Oeste. Em uma semana, o total de confirmações passou de duas para quatro na 13ª Regional de Saúde (RS). Os outros dois casos foram diagnosticados nas mesmas cidades e todos são autóctones, ou seja, não vieram de fora.

O primeiro caso registrado em Cianorte foi de um homem de 46 anos que morreu por outros motivos, informou a Sesa. O caso mais recente é de uma menina de oito anos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, duas coletas de sangue foram realizadas para confirmar a doença e a paciente já passa bem.

Os casos de Tuneiras do Oeste são de uma mulher de 46 anos, diagnosticada com a doença em abril e de um bebê de um ano, recentemente diagnosticado. As informações foram repassadas pela Sesa. A Tribuna não conseguiu contato com a Secretaria Municipal de Saúde para verificar o estado de saúde dos pacientes.

 

ALERTA

Em todo o ano passado, a 13ª RS registrou apenas dois casos confirmados de dengue, um em Cianorte e outro em Rondon. Para a supervisora do Programa de Combate à Dengue de Cianorte, Vera Fusisawa, o aparecimento de casos na região é comum, pois o mosquito está presente em todas as cidades. “O número de focos encontrados está igual ao ano passado, ou seja, não há um fator determinante para a doença. Como nossa região é infestada de mosquitos e o vírus está circulando é normal que apareçam casos de dengue”, afirma.

Segundo ela, as notificações diminuíram muito com a chegada do frio, mas é preciso estar atento para eliminar os criadouros do mosquito transmissor nesta época do ano e evitar que ele se reproduza com a chegada do calor. “No inverno, os mosquitos se escondem em abrigos e as larvas ficam hibernando. Por isso, não podemos deixar água empoçada de jeito nenhum, porque eles esperam a temperatura ideal para se proliferar.”

Os agentes de endemias continuam atuando diariamente em residências, terrenos e estabelecimentos comerciais de Cianorte. Este ano, as multas para quem for reincidente em casos de focos do mosquito Aedes aegypti foram reajustadas e os novos valores são: R$ 250 para residências, R$ 400 para terrenos e de R$ 1,3 mil para estabelecimentos comerciais/industriais. Além do Aedes aegyti, que transmite dengue, zika, chikungunya e febre amarela, a notificação também contempla animais peçonhentos, como o escorpião.

Quem apresentar sintomas de qualquer uma dessas doenças deve procurar os serviços de saúde do município o mais rápido possível.