Cotidiano

Câmara homenageia os 110 anos de imigração japonesa no Brasil

Sessão solene contou com a presença de pioneiros japoneses que participaram da fundação de Cianorte
["O presidente da C\u00e2mara, Manfrinato, entregou uma placa comemorativa ao presidente da Acec, Carlos Alberto Sakai","",""] (Foto: RAFAEL CALADO)

Integrantes das famílias japonesas que fazem parte da história local lotaram o plenário da Câmara de Vereadores, na última quarta-feira (20), para uma sessão solene em homenagem aos 110 anos de imigração japonesa no Brasil. A solenidade foi proposta pelo presidente da Casa, Dirceu Manfrinato, e contou com a presença de oito dos 10 vereadores.

Para abrir a sessão, os participantes acompanharam os hinos nacionais do Brasil e do Japão e assistiram a uma mensagem do embaixador japonês Akira Yamada. Em seguida, cinco representantes japoneses receberam certificados de reconhecimento pela data.

Os homenageados foram: Koiti Shinohara, pioneiro da cidade e presidente da Associação Cultural e Esportiva de Cianorte (Acec) por nove vezes; Carmem Goya Teruya, a nipônica mais idosa da cidade, com 95 anos; Hiloko Ohi Takeshita, pela criação e reconhecimento da atividade de encontro com as senhoras do Brasil; Naoaki Osaku, por ser o homem nipônico mais velho de Cianorte, com 91 anos e Hilda Yaeko Endo, por mais de 30 anos dedicados ao tênis de mesa.

O presidente da Acec, Carlos Alberto Sakai, recebeu uma placa comemorativa do presidente da Câmara e agradeceu aos vereadores pela homenagem. Manfrinato destacou a importância dos japoneses para o desenvolvimento local e relembrou alguns nomes que fizeram parte da história do legislativo municipal. “Os japoneses ajudaram a fundar Cianorte, em 26 de julho de 1953, e contribuíram para administrá-la bem, graças ao trabalho dedicado de ex-vereadores como Mario Ghizo Mizuta, Jorge Akira Honda, Takashi Kanashima, Hideo Kawada, Francisco Kanô e Kai Sizuo”, destacou.

A sessão também contou com apresentações musicais da cantora Maria Eduarda Akemi Hoepers Miyawaki e com o lançamento oficial do selo comemorativo dos correios Imin 110, que será utilizado nas correspondências oficiais da Câmara durante o ano.

O delegado-chefe da 21ª Subdivisão Policial (SDP) de Cianorte, Marino Marcelo de Oliveira; o chefe de instrução do Tiro de Guerra, subtenente Waiber Corrêa de Menezes e o subtenente Sandoval Diniz de Paula, também do TG, estiveram presentes.

História da imigração japonesa no Brasil

No dia 18 de junho de 1908, o navio Kasato Maru ou Navio Esperança, atracou no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, trazendo 781 imigrantes japoneses. A viagem foi motivada por interesses dos dois países: o Brasil necessitava de mão-de-obra para trabalhar nas fazendas de café e o Japão precisava aliviar a tensão social no país, causada por seu alto índice demográfico.

Em 1912, os imigrantes vieram para o Paraná, tendo como precursora uma família da província de Fukushima. Atualmente, o Brasil abriga a maior comunidade japonesa fora do país de origem, com 1,9 milhão de pessoas, de acordo com o cônsul-geral do Japão, Hajime Kimura. No Paraná, há 150 mil descendentes de japoneses. O estado abriga a segunda maior comunidade do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo.

Em Cianorte, as tradições da cultura nipônica ainda são preservadas pela Associação Cultural e Esportiva de Cianorte (Acec), que conta com 90 famílias associadas.