Estado

Bombeiros já atenderam mais de 2 mil pessoas nas prainhas do Paraná

Os números correspondem aos trabalhos das três primeiras semanas da Operação Verão
As prainhas são os destinos mais procurados pelos moradores do noroeste que não vão para o litoral nesta época do ano (Foto: ARQUIVO TRIBUNA)

Desde o dia 22 de dezembro, 55 profissionais estão atuando como guarda-vidas em 10 postos distribuídos nas “prainhas” com maior concentração de pessoas no interior do estado, na Operação Verão 2018. Porto Rico, Porto Maringá e Porto São José são os destinos mais procurados.

De acordo com o 5° Grupamento de Bombeiros de Maringá, 2129 pessoas foram orientadas e 1236 receberam advertências dos guarda-vidas até o último domingo (7). No mesmo período foram contabilizados sete resgates – retirada da pessoa do rio antes que a água chegasse aos pulmões – e três afogamentos leves. Além disso, os profissionais atenderam duas lesões físicas não relacionadas ao meio aquático e 10 atendimentos pré-hospitalares.

No litoral, a terceira morte por afogamento da temporada de verão foi confirmada nesta segunda-feira. Um idoso de 61 anos sofreu um ataque cardíaco no dia 30 de dezembro de 2017, enquanto se banhava no mar no balneário Ipacaraí, em Matinhos. Ele morreu no dia seguinte no Hospital Regional do Litoral. A morte foi comunicada pela unidade de saúde alguns dias depois.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o afogamento foi causa secundária da morte, já que o homem tinha feito uma cirurgia cardíaca e foi retirado do mar ainda com sinais vitais. Os outros dois afogamentos com morte aconteceram em Guaratuba e em Pontal do Paraná. Desde o dia 22 de dezembro, 694 salvamentos foram realizados.

Na semana passada, a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) divulgou a quantidade de acidentes com águas-vivas registrados nas praias do estado. Entre 22 de dezembro e 3 de janeiro, foram 318 casos; 57 em Guaratuba, 140 em Matinhos, 119 em Pontal do Paraná e dois em Paranaguá. No mesmo período da temporada anterior, mais de 5 mil casos já haviam sido notificados no litoral paranaense.

A Sesa disponibiliza uma central telefônica 24 horas para orientar o cidadão sobre o que fazer em caso de acidentes com águas-vivas e outros tipos de envenenamentos/intoxicações. O Centro de Controle de Envenenamentos do Paraná atende pelo telefone 0800-410-148. A ligação é gratuita.

ORIENTAÇÕES

Para evitar acidentes no litoral e nas prainhas do interior do Paraná, os banhistas sempre devem ficar atentos às orientações dos guarda-vidas e às bandeirinhas que mostram os locais de risco. Crianças devem ser observadas constantemente e ficar ao alcance de um braço de um adulto quando estão na água; rios com correnteza são muito perigosos, por isso o ideal é sempre nadar acompanhado.

Ao se deparar com pessoas se afogando, a orientação é entrar em contato com o Corpo de Bombeiros pelo 193. Só ajude se tiver treinamento específico para o salvamento. Caso não possua, procure um objeto flutuante ou um cabo longo para alcançar a vítima, sem entrar na água.

Em caso de acidentes com águas-vivas nas praias procure o posto de guarda-vidas mais próximo e não aplique água doce ou outros líquidos no local da queimadura. O banhista será atendido com aplicação de vinagre e encaminhado para atendimento médico, se necessário. (Com informações da Agência Estadual)