Cidades

Área agrícola da região diminui 5% em 11 anos

Cinco dos sete municípios da agência do IBGE local reduziram a área.
["As pequenas propriedades da regi\u00e3o deram lugar \u00e0s grandes planta\u00e7\u00f5es ","",""] (Foto: ANDERSON THEODORO)

Os resultados preliminares do Censo Agropecuário 2017, realizado pelo IBGE, apontam uma queda 5% na área agrícola dos sete municípios da região. No último censo, de 2006, o total era de 270 mil hectares; na pesquisa mais recente o número caiu para 254.665. Cianorte, Japurá, Jussara, São Tomé e Terra Boa diminuíram a área voltada para o plantio de culturas tradicionais e criação de animais. Já os municípios de Tapejara e Tuneiras do Oeste tiveram registraram aumento.

A cidade com a maior área agropecuária continua sendo Cianorte, mesmo com uma queda de 1,5%. Em 2006, o município tinha 71 mil hectares; em 2017 registrou 69.879. A maior diferença foi observada em Terra Boa, que perdeu 28.786 hectares, cerca de 52%.

Em relação ao número de estabelecimentos, também houve redução. No geral, de 26%. Há 11 anos, a quantidade era de 5.069 nos sete municípios, e passou para 3.734. Em Tuneiras do Oeste, por exemplo, o dado passou de 1.158 para 720, o que representa que as pequenas propriedades deram lugar aos latifúndios. A única cidade que aumentou o número de estabelecimentos agropecuários foi Terra Boa, com 451, 10 a mais do que em 2006.

No Paraná, a queda da área agrícola foi de 42%, de acordo com o censo. Os estabelecimentos também diminuíram, passando de 371.063 para 305.115. No cenário nacional, a área de estabelecimentos agropecuários aumentou cerca de 5% nos últimos 11 anos, passando de 333.680.037 hectares para 350.253.329 hectares. Já a quantidade diminuiu, de 5.175.636 para 5.072.152.

TECNOLOGIA

Os resultados preliminares do Censo Agropecuário 2017 demonstram que a infraestrutura das propriedades rurais paranaenses é melhor do que a média nacional. Dos total de estabelecimentos agropecuários identificados pelo estudo no Paraná, 89,02% utilizam energia elétrica; 80% contam com telefone e 43,2% têm acesso à Internet.

No Brasil, 83,5% dos estabelecimentos contam com ligação de energia elétrica. O número de propriedades com ligação telefônica no país é 3.193.775 (63%). Já o acesso à Internet é bem menor que a média paranaense: 28,1% dos estabelecimentos, um total de 1.425.323.

Além disso, 104.216 estabelecimentos agropecuários do Paraná têm ao menos um trator (34,2%) e 95.500 têm automóveis (31,3%). No país, são 733.997 propriedades com trator (14,5%) e 807.667 (15,9%) com automóvel.

O secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, George Hiraiwa, afirma que o acesso à infraestrutura e à tecnologia é importante para ampliar a inovação no campo. “A agricultura digital tem avançado muito nos últimos anos. É importante saber que quase metade das propriedades rurais paranaenses está coberta com a conectividade”, afirma. (Com Agência Estadual)