Cotidiano

Alimentos não perecíveis são doados à entidade pela Agência do Trabalhador

Equipe da Agência do Trabalhador faz doação à entidade Casa Ester. (Foto: Renata Martins)

Na tarde desta quarta-feira (15), por volta das 13h30, ocorreu a entrega dos alimentos perecíveis recolhidos como forma de inscrição ao curso de Técnico de Vendas, da Agência do Trabalhador, à entidade Casa Ester. Todo mês a Agência busca doar os alimentos à uma entidade da cidade. 

Com as inscrições do curso de técnicos de venda, foram recolhidos 10 kg de farinha, 15 kg de feijão, 4 kg de sal, 23 kg de açúcar, 14 kg arroz e 8 kg de macarrão. Segundo Roberson Morales, gerente da Agência, “o objetivo é que a cada curso da agência os alimentos não perecíveis sejam direcionados a alguma instituição da cidade, e neste mês quem recebeu os alimentos foi a Casa Ester”.

Idealizador da ideia, Rangel Vidal, que buscou a parceria com a Agência do Trabalhador por meio da Faculdade Faculdade São Braz, explicou que no próximo mês será ofertado o curso de Orientação Pessoal. “Nesse curso, as pessoas irão aprender a como preencher currículo e técnicas de comportamento na entrevista de emprego, pois o pessoal reclama muito das apresentações na hora de entrevistas”, Afirma. 

De acordo com Rangel, as pessoas estão muito despreparadas. Ele acredita que o curso vai dar uma boa base e ajudar na busca de um emprego. As datas do próximo curso ainda não foram definidas. 

A Casa Ester

Inaugurada no dia 08 de março DE 2019, Dia da Mulher, a Casa Ester é um lar de recuperação feminina que visa ajudar mulheres dependentes de substâncias químicas e álcool.

O partor Hélio Granzotto, presidente da associação Casa Ester conta que sentiu a necessidade de abrir um lugar como esse, pois muitas pessoas o procuravam. “Muita gente vinha até a igreja pedindo ajuda para algum conhecido. A gente ia atrás de algumas casas, mas o valor era muito alto e as famílias não conseguiam pagar, então decidimos criar um novo lugar”, contou. 

Segundo o presidente, a Casa Ester é a única deste formato no Noroeste do Paraná e conta atualmente com oito mulheres, mas tem capacidade para 27. Granzotto afirma que logo poderão receber até 54 mulheres.