Cidades

Albergue Noturno completa 51 anos com orçamento apertado

O local é mantido pelo Lions Clube e precisa se adequar para voltar a receber subsídio da prefeitura
O Albergue Noturno de Cianorte fica na Vila Operária, no cruzamento das ruas Tapajós e Juruá (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

Nesta segunda-feira (14), o Albergue Noturno de Cianorte completa 51 anos de funcionamento. Mantido pelo Lions Clube Cianorte, o local tem capacidade para abrigar 27 pessoas, entre homens e mulheres, e chega a atender de 300 a 400 pessoas por mês. O casal Lucélia Leonel da Costa Santos e Manuel Mateus dos Santos Neto são funcionários da prefeitura e cuidam do albergue há 19 anos. Durante o dia, eles contam com o auxílio de pessoas em cumprimento de medidas socioeducativas, que fazem serviços de limpeza e manutenção.

Nessa época do ano, a casa abriga cerca de 17 pessoas diariamente, a maioria homens de cidades da região ou locais mais distantes. Menores de idade só são abrigados acompanhados de responsáveis ou encaminhados pelo Conselho Tutelar. Segundo Neto, o pessoal vem para Cianorte procurar emprego ou visitar um parente no hospital e acaba ficando no albergue. O local também abriga andarilhos, moradores de rua e pessoas encaminhadas pela secretaria de Assistência Social e polícias Militar e Rodoviária.

O albergue é dividido em duas alas – uma para os homens e outra para mulheres – e oferece pouso, jantar e café da manhã. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 18 horas às 7 da manhã. De acordo com Neto, algumas regras são essenciais para o bom funcionamento do local. “As pessoas precisam tomar banho e não podem estar sob efeito de álcool ou drogas. Todos que passam por aqui são cadastrados e ficam de três a quatro dias, no máximo”, explica.

Segundo ele, antigamente a maioria dos abrigados era de idosos, mas hoje chegam muitos jovens e pessoas de meia idade. Manuel encontrou muita desorganização quando chegou ao albergue e não queria ficar, mas depois se adaptou e diz não viver mais longe do lugar. “Eu tenho prazer de trabalhar aqui e não consigo ficar longe desse lugar. Eu entrei para ficar seis meses e acabei ficando até hoje. O pessoal não se adaptava a trabalhar aqui, mas eu me adaptei a trabalhar com gente e se tiver que parar vou ficar triste”, conta.

Em 51 anos, o local passou por algumas reformas e adaptações de exigências do Corpo de Bombeiros, mas a estrutura se mantém a mesma.

GESTÃO

Desde o início de suas atividades o albergue é mantido pelo Lions Clube de Cianorte. Este mês, uma nova diretoria assumiu o local e pretende melhorar o atendimento e a estrutura, além de disciplinar o controle dos abrigados. Até outubro de 2016, a prefeitura repassava uma subvenção mensal para ajudar a manter o albergue, mas a parceria foi inativada por motivos burocráticos. “Há uma lei federal [Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil] que exige contratações de assistentes sociais e outros profissionais para trabalhar aqui o dia todo e anos precisamos nos adequar aos requisitos para voltar a receber a ajuda da prefeitura. Para nós, isso é praticamente impossível porque não conseguimos atender às exigências com recursos próprios”, explica o presidente do Lions Clube de Cianorte, Lincoln Aguera Munhoz.

A entidade está sendo mantida com arrecadações de eventos do Lions e doações. “O orçamento está bem apertado, nós pedimos que os cianortenses se sensibilizem e lembrem do albergue quando quiserem ajudar uma entidade assistencial”, disse.

A diretoria do albergue é formada por membros do Lions e renovada a cada ano. O novo grupo, eleito recentemente, é formado pelo presidente Adésio Silvestre.

DOAÇÕES

O Albergue Noturno aceita doações de alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal, acolchoados, roupas de cama em geral, toalhas de banho, roupas e calçados (principalmente masculinos) e outros. Segundo Lucélia, atualmente a maior necessidade é de lençóis de solteiro, fronhas e toalhas de banho.

Quem quiser fazer doações para a instituição pode leva-las até lá ou ligar para Manuel, no telefone 99914-4189. O albergue fica na rua Tapajós, 207, no cruzamento com a rua Juruá, na Vila Operária.