Cidades

Abril fecha com saldo positivo na geração de empregos em Cianorte

Contratações voltam a superar as demissões; primeiro quadrimestre de 2019 fecha com 442 novos postos
["Com\u00e9rcio foi o setor com o maior salto negativo na gera\u00e7\u00e3o de empregos de Cianorte, com 194 admiss\u00f5es e 217 demiss\u00f5es."] (Foto: ARQUIVO TRIBUNA )

Os números apresentados nesta sexta-feira (24) pelo Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia mostrou um crescimento na geração de empregos de Cianorte, um ponto positivo para a economia local. As contratações voltaram a superar as demissões, apenas o mês de março deste ano fechou com salto negativo. Em abril, foram 819 contratações contra 779 demissões.

O saldo fechou com 40 pontos positivo no quarto mês de 2019, apesar de ter sido positivo, o saldo é o segundo menor do ano, ficando a frente apenas de março que fechou com 108 pontos negativos. O acumulado do ano continua positivo com 3.671 contratações e 3.229 demissões no primeiro quadrimestre. O saldo é de 442 novos postos gerados.

Porém, o saldo fechou com 297 pontos negativos na microrregião de Cianorte. Foram 1.293 contratações contra 1.590 demissões. A microrregião abrange as cidades de Cianorte, Cidade Gaúcha, Guaporema, Indianópolis, Japurá, Jussara, Rondon, São Manoel do Paraná, São Tomé, Tapejara e Tuneiras do Oeste.

A geração de emprego foi positiva em cinco dos oito setores econômicos especificados pelo Caged em Cianorte. Apenas os setores de Serviço Industrial de Utilidade Pública e Comércio fecharam negativos. A indústria da transformação continua sendo o ramo que mais contrata e o que mais demite em Cianorte, mas o número de contratações e de demissões ficou igual em abril, com 363.

Os números de abril mostram uma retomada na geração de empregos na Capital do Vestuário. O resultado em fevereiro foi o melhor dos últimos 12 meses e colocou a cidade entre as 20 cidades com melhor saldo entre admissões e demissões no Paraná.

Em fevereiro, o número de admissões chegou a 1.214. No mesmo período, as demissões chegaram a 840. Um saldo de 404 empregos. O resultado superou janeiro, quando o saldo entre admissões e demissões ficou em 238. O pior resultado do ano foi registrado em março, com 779 contratações e 887 demissões.

PARANÁ E BRASIL

O Paraná é o terceiro estado com o maior saldo positivo na geração de empregos, com 10.635. O estado fica atrás apenas de São Paulo (50.168) e Minas Gerais (22.348). Foram 104.601 novas contratações registradas em abril no Paraná contra 93.948 demissões.

O Brasil registrou a abertura de 129.601 novas vagas de emprego com carteira assinada em abril, resultado de 1.374.628 admissões e 1.245.027 desligamentos. O emprego foi positivo em 23 unidades federativas. Entre os quatro estados que apresentaram saldo negativo, o maior recuo ocorreu em Alagoas, com o fechamento de 4.692 vagas de emprego.

Este foi o melhor resultado para abril desde 2013. Na época, o Caged registrou a criação de 196.913 vagas. Terceiro ano consecutivo de saldos positivos e crescentes no mês, o número reflete a recuperação do contingente de empregos formais em abril desde 2017. No acumulado do ano, de janeiro a abril, foram gerados 313.835 postos de trabalho e o estoque de empregos chegou a 38,7 milhões.

O resultado de abril de 2019 está diretamente relacionado aos setores de Serviço, Indústria de Transformação e Construção Civil, responsáveis pela maior parte da geração de empregos no mês. (Com informações do Bem Paraná)