Economia

75% dos brasileiros devem comprar presentes para o Dia das Crianças

A expectativa é de que a data comemorativa movimente quase R$ 10 bilhões no comércio
É importante que os pais sigam as recomendações do Procon para comprar os presentes para as crianças (Foto: MÔNICA CHAGAS / TRIBUNA)

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) nas capitais mostra que a expectativa de consumo para o Dia das Crianças deste ano reforça a tendência de uma recuperação lenta e gradual da economia brasileira. O estudo aponta que 75% dos brasileiros devem ir às compras; 5% a mais do que no ano passado.
Mesmo com a intenção de presentear em alta, o gasto do consumidor ser ligeiramente contido. De acordo com o levantamento, quase um terço (32%) dos entrevistados que vão comprar presentes pretendem gastar o mesmo valor que no ano passado e 27% têm a intenção de gastar menos. Uma proporção de apenas 17% afirma que vai gastar mais em 2017 do que em 2016.
No total, o consumidor deve desembolsar R$ 194 com os presentes. A maioria pretende pagar à vista (61%) e vai comprar apenas um presente (44%). O cartão de crédito será opção de 21% dos consumidores.
O SPC Brasil e a CNDL estimam que o Dia das Crianças deve movimentar aproximadamente R$ 9,7 bilhões no comércio neste ano. A data representa a última festa comemorativa antes do Natal, por isso, dá ao mercado de consumo as primeiras impressões de como será o desempenho das vendas no final do ano.
De acordo com a pesquisa, as dificuldades impostas pela crise estão entre as principais razões para aqueles que planejam gastar menos. Mais de um quarto (34%) desses entrevistados vão frear o consumo porque precisam economizar. Outras razões são as dificuldades no orçamento (32%), o aumento dos preços e a economia do país ainda instável (21%).
A pesquisa revela ainda que três em cada dez (27%) consumidores que têm a intenção de comprar presentes neste ano possuem ao menos uma conta em atraso e 25% se encontram com o nome negativado em entidades de proteção ao crédito.

Orientações do Procon

O Procon-PR divulgou, nesta semana, algumas recomendações aos pais sobre a compra de presentes para o Dia das Crianças. Claudia Silvano, diretora do Procon-PR, lembra que os brinquedos têm a preferência das crianças e mexem com a imaginação. “Mas é importante não esquecer das questões relativas à segurança e saúde e verificar se o produto é certificado pelo Inmetro”, alerta.

Todo brinquedo comercializado no Brasil precisa ter o selo do Inmetro. A certificação, obrigatória para brinquedos destinados às crianças de até 14 anos, é a garantia de que eles foram aprovados em todos os testes que simulam situações do cotidiano.

A escolha do presente precisa levar em conta o gosto da criança e sua faixa etária, e os pais ainda devem ficar atentos para não gerar novas despesas com o produto, como no caso dos celulares.

A diretora aconselha que os pais deem preferência aos brinquedos educativos, que estimulem a inteligência, o raciocínio, a afetividade e a socialização da criança. Outra recomendação é evitar o mercado informal, pois, em razão da falsificação, podem ocorrer vários problemas e não existe um fornecedor responsável facilmente identificável. Não há o fornecimento de nota fiscal nem garantia, o que dificulta reclamar junto aos órgãos de defesa do consumidor.

É importante ainda ler as instruções e retirar o brinquedo da embalagem antes de entregá-lo à criança, principalmente para aquelas com menos de três anos de idade.

A venda de brinquedos também se sujeita ao Código de Defesa do Consumidor e a embalagem dos produtos e o manual de instruções precisam informar a faixa etária a que se destina o brinquedo, eventuais riscos que apresente, número de peças, regras de montagem, modo de usar, se faz parte de uma série ou coleção e a clara identificação do fabricante ou do importador. (Com SPC Brasil e Procon-PR)