Saúde

Cianorte oferece programa para quem deseja parar de fumar

O tratamento é oferecido em grupos de apoio gratuitos e tem duração de sete semanas
A cada reunião os participantes recebem novas informações que auxiliam no tratamento (Foto: Mônica Chagas/Tribuna)

No último dia 31 de maio, foi comemorado o Dia Mundial Sem Tabaco. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis causadas pelo fumo. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), todo ano cerca de 200 mil brasileiros morrem em função de doenças relacionadas ao tabaco. O Instituto coordena o Programa Nacional de Controle de Tabagismo (PNCT), que beneficiou mais de 23 mil paranaenses somente no ano passado. O programa é oferecido nas 22 Regionais de Saúde do Paraná, em 163 municípios.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), entre 2006 e 2014, o percentual de fumantes diminuiu 30,7% no Brasil. Atualmente, 21,2% da população se declara como ex-fumante, 18,3% como fumante passivo e apenas 3% diz fumar mais de 20 cigarros ao dia. Os fumantes regulares, que consomem tabaco todos os dias, são apenas 10,8% da população.

CIANORTE

Em Cianorte, os Grupos de Atenção à Pessoa Tabagista existem há 10 anos. De acordo com a chefe da 13ª Regional de Saúde, que abrange 11 cidades da região, o material utilizado no tratamento e os medicamentos são disponibilizados pelo Governo do Estado. Atualmente, 110 pessoas participam do programa na Regional.

Adriana também explica que a Regional de Saúde é responsável pela capacitação dos profissionais que atuam no programa. O trabalho em grupo inclui avaliações clínicas, aconselhamento psicológico e, se necessário, prescrição de medicamentos. O acompanhamento é feito por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, farmacêuticos e assistentes sociais.

A auxiliar de enfermagem, Joselayne Domingos dos Santos, fumou durante 23 anos e conseguiu se livrar da dependência com o programa. “Eu participei do grupo em 2007, fui a todas as reuniões, usei um medicamento, que foi a goma de nicotina, durante três dias e no quarto dia eu adquiri nojo pelo cigarro. Desde então, não fumei mais”, conta. Segundo ela, o mais importante é estar determinado a largar o vício e aberto para receber apoio. “Sempre que eu encontro as pessoas que conheci no grupo converso com elas e pergunto se estão firmes. Eu conheci um senhor que fumava desde criança e continua sem fumar até hoje”, afirma.

SERVIÇO

Quem tiver interesse em conhecer o programa e participar dos grupos de apoio pode entrar em contato com a supervisora de enfermagem da Secretaria de Saúde de Cianorte, Alexsandra Perondi Charron, pelos telefones 3619-0330 e 3619-0329 e deixar o nome no cadastro ou procurar qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS). Em Cianorte, novos grupos de no máximo 20 pessoas são iniciados a cada dois meses. As reuniões são semanais e têm duas horas de duração. Geralmente são marcadas à noite, mas o horário pode ser definido pelos próprios participantes, segundo Alexsandra.

“O resultado é muito alto. Nós percebemos que alguns desistem no meio do programa, mas praticamente todos que vão até o final conseguem parar de fumar. É outra vida, os participantes relatam melhora nas relações sociais, na saúde e na qualidade de vida em geral”, destaca a supervisora. (Com informações da Agência Estadual de Notícias)