Cotidiano

Chegada do inverno favorece doenças respiratórias

Nesta época do ano que aumentam os problemas respiratórios, principalmente em idosos e crianças,
A mudança do clima aumenta o registro de algumas doenças, principalmente relacionadas ao sistema respiratório (Foto: Imagem ilustrativa)

Começa na próxima quarta-feira, 21 de junho o inverno. A estação traz à região temperaturas amenas, ar seco e chuvas regulares causadas por frentes frias. A mudança do clima aumenta o registro de algumas doenças, principalmente relacionadas ao sistema respiratório. São as doenças de inverno, provocadas pela queda brusca de temperatura, pela transmissão de vírus e bactérias em ambientes fechados ou alergias.

Segundo o DATASUS, De abril de 2016 a abril deste ano ocorreram 1.878 internações por doenças respiratórias em Cianorte, sendo o maior número delas registrado entre maio e junho do ano passado - período entre o outono e inverno, quando as temperaturas começam a cair. De acordo com a médica pediatra Lorena Novo, há uma relação direta na transformação do clima e no desenvolvimento de doenças. “Com a diminuição da temperatura, a umidade do ar também diminui. Com isso, os vírus e bactérias se tornam mais circulantes em nosso meio e é mais fácil a transmissão de doenças”, explica.

Crianças e idosos estão entre o grupo mais vulnerável a esse tipo de doença. Durante o período, pessoas com idade acima dos 70 anos lideraram o número de internações por doenças respiratórias (716 casos). As crianças de zero a quatro anos vêm em seguida com 380 casos. Otorrinolaringologista, o médico Marcos Pedro recomenda que o grupo considerado como prioritário pelo Ministério da Saúde recorra à vacinação para evitar casos fortes de gripe. “Doenças respiratórias, como a gripe, entre idosos e crianças tem mais chance de sofrer complicações. Por isso recomenda-se que esse grupo que é susceptível recorra à vacinação, evite estar próximo de pessoas resfriadas em ambientes fechados e o contato direto com pessoas infectadas”.

Além de gripe e resfriados, outras doenças são frequentes nesta época do ano como rinite alérgica, sinusite, asma, otite, pneumonia, conjuntivite e meningite. Embora tenham sintomas semelhantes, cada doença tem sua característica particular e práticas como a automedicação pode agravar os sintomas. “Todas as doenças requerem atenção e atendimento médico, porém algumas apresentam mais riscos de complicações, como crise asmática, pneumonia, sinusite, otite e meningite. O paciente deve sempre procurar um médico para esclarecimentos antes de ingerir um medicamento, principalmente os pacientes menores de dois anos, faixa etária em que muitos remédios são proibidos. Os riscos são inúmeros, especialmente as complicações das doenças”, explica a pediatra Lorena Novo.

GRIPE, RESFRIADO, RINITE

Coriza, dor no corpo, dor de cabeça. Os sintomas são comuns para três doenças distintas: gripe, resfriado e rinite alérgica. Embora tenham sintomas semelhantes, gripe e resfriado são doenças diferentes. O resfriado dura poucos dias e é transmitido pelo contato direto entre pessoas. A gripe, causada pelos vírus influenza é mais grave e costuma ter uma duração mais longa. Além dos sintomas em comum com o resfriado, a gripe provoca febre, dores e cansaço. Se não tratada adequadamente pelo sofrer complicações graves como a pneumonia.

Confundidas muitas vezes com um resfriado ou gripe, a rinite é uma das doenças mais comuns, não só no inverno, mas no ano todo. De acordo com o otorrinolaringologista Marcos Pedro, “a rinite não é uma doença, mas sim uma condição do sistema de proteção a fatores como um cheiro muito forte, mudança de temperatura, mofo, ácaro, depende da sensibilidade do paciente”, explica.

Em comum, as três doenças podem ser prevenidas e tratadas. De acordo com o otorrino, ainda não há uma cura para os alérgicos, mas um tratamento pode minimizar os sintomas. Já para a gripe e o resfriado o ideal é que o paciente passe por uma avaliação médica antes de iniciar qualquer tratamento.

Saiba como prevenir as doenças de inverno

Manter ambiente ventilado durante o dia

Lavar sempre as mãos e as narinas

Beber muita água;

Ao tossir, usar o braço, e não a mão

Evitar o contato de crianças saudáveis com pessoas doentes

Evitar acúmulo de poeira e ácaros nos ambientes e sempre limpar com pano molhado

Lavar e secar ao sol mantas, tapetes, cortinas e blusas de lã

Manter alimentação saudável, prática de atividade física regular e horas de sono adequadas

Vacinação