Blogs | Newsletter | Fale Conosco |
Cidades

Vigilantes param e bancos fecham

Redação

03/02/2011 às 09:58 - Atualizado em 28/08/2014 às 19:23

Os cerca de 80 vigilantes que desempenham a função de segurança nas agências bancárias de Cianorte aderiram a greve da categoria, deflagrada por tempo indeterminado na última terça-feira (1º) em praticamente todo o estado.

A decisão aconteceu na manhã desta quarta (2), depois da visita do representante do Sindicato dos Vigilantes de Maringá e Região, Higor Farias dos Santos. “No Paraná a categoria está em greve desde a 0h deste dia primeiro. Hoje estamos mobilizando os companheiros das cidades do interior. Já temos informação que em Curitiba, Maringá, Londrina, Cascavel, Umuarama e outras cidades a adesão foi de quase 100%. Em Cianorte não encontramos nenhuma barreira. Todos os vigilantes estão aderindo à greve, que também recebe a solidariedade dos gerentes dos bancos” comentou.

A greve, que no município começou oficialmente na quarta, não tem data para terminar. “Estamos reivindicando apenas o que é nosso por direito” disse o representante da categoria.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região, João Soares, disse que a greve paralisou 76% das agências bancárias de todo o estado. A adesão esperada para esta quarta-feira era de 80%. Em Curitiba, das 336 agências bancárias, 270 fecharam as portas nesta quarta-feira. Em Londrina a greve tem 100% de adesão e os 400 vigilantes do município fizeram com que os bancos permanecessem fechados. Em Maringá 90% dos bancos estão fechados por conta da paralisação.

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) ainda não realizou balanço sobre os bancos fechados. Segundo a lei federal 7.102 as agências bancárias não podem funcionar sem a presença de, no mínimo, dois vigilantes. Em todo o Paraná são 1.337 agências. Na tarde desta terça-feira, os grevistas fizeram manifestação em frente às agências bancárias. Em Cascavel, no oeste do estado, a polícia foi chamada para evitar tumulto. Como alguns trabalhadores não aderiram à greve, ainda havia agências abertas.

Em Cianorte tudo correu de forma pacífica. Os vigilantes esperaram todas as pessoas saírem das agências para então iniciar a greve e ainda mantiveram um representante na frente de cada agência, para explicar a decisão à população.

As principais reivindicações da categoria são o aumento de 5% mais reposição do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no piso salarial, elevação de 5% no adicional de risco de vida (totalizando 15%) e aumento no vale-refeição de R$ 12 para R$ 15.

“Um dos problemas é o grande número de empresas que trabalham no ramo. Todas precisam entrar no acordo para que a classe não seja prejudicada. A primeira proposta apresentada foi de um ganho real de 1%, que rejeitamos, e agora estamos esperando uma melhor proposta”, ressaltou Santos.

O que fazer

Para contornar os transtornos causados pela greve dos vigilantes, muitos serviços bancários podem ser feitos fora das agências

Nas casas lotéricas é possível receber benefícios sociais como Bolsa Família, INSS, FGTS, Seguro-Desemprego e PIS, pagar contas de água, luz e telefone, boletos de cobrança bancária, prestação habitacional, consultar saldo de conta corrente e poupança, fazer depósitos e saques de conta corrente e poupança (com o cartão magnético). Nos terminais eletrônicos (caixas automáticos e salas de autoatendimento) se pode fazer saques, depósitos em dinheiro ou cheque, consulta e retirada de saldo/extrato, transferências, retirada de folhas de cheque, pagamento de contas (não vencidas), de cartão de crédito, saques de benefícios sociais (com o cartão), resgate de investimento, pagamento de IPTU e IPVA (em terminais de atendimento do Banco do Brasil).

E pela Internet os clientes também podem pagar IPTU, IPVA, água, luz e telefone, consultar saldo/extrato, pagar boletos de cobrança bancária, prestação habitacional e realizar transferências.

 

Publicidade
Publicidade
Imagem do Dia

Richa sobe três pontos e chega em 47% das intenções de voto

Publicidade